A casa dos grandes pensadores
 
 
 

ROSELI BUSMAIR

 

 

 

 
CREPÚSCULO
 
Caí a noite...
O crepúsculo precipita um espetáculo de cores e luzes!
O sol vai aos poucos desaparecendo,
 enquanto na obscuridade, as primeiras estrelas fulgem.
Ao largo, o meu olhar se funde às fantásticas imagens.
O trabalho chega ao final e ao badalar das dezoito horas,
a multidão se confunde entre pessoas que se cruzam,
 mas se desconhecem.
Carros e buzinas no estertor do "blitz",
na ânsia do retorno ao aconchego de seus lares.
Na confusão normal do "rouche" - o frenesi da existência!
Espera-se que o ente querido nos espere também.
Saudade é a recíproca às ilusões que se perdem
em análises verdadeiras.
Para mim também, o dia chega ao seu final.
Caminho lentamente pela avenida, assim sozinha,
 sem pressa para chegar a lugar algum.
O que busco para mim, já não encontro aqui fora.
O que se me podem oferecer, já não complementa o meu interior.
Vou observando as pessoas e os carros que transitam
aloucados e, aos poucos vão desaparecendo na velocidade,
quais detritos de sonhos, que se aglomeram agora ao pôr do sol !
São frações de tempo na insinuação da existência;
na eterna busca da nossa íntima realização,
entre as mil perguntas que a gente se faz, sem ter
respostas.
Divago enquanto caminho... só me esperam quatro paredes frias e a solidão.
Ah! solidão interior, como dói a saudade...
É um desafio aos sonhos que ousei sonhar e,
 que jamais tornarão a renascer...
Foi você sim, a última desilusão !
Foi sim, o final amargo de tantas esperanças...
Um tão breve e imorredouro momento,
que se fez imortal na lembrança e que se traduz agora
 nesta busca contínua, vazia e desconexa...
Mas você não pode observar as regras desse jogo amoroso.
Não pode conscientizar-se da verdade tão evidente e,
nem mesmo crer, que o verdadeiro amor persista ainda,
após tantos conflitos e muitos desencontros.
O meu crepúsculo frio...  
A tradução mais exata do meu íntimo e da minha dor!
 
Roseli Busmair
 
Curitiba – Paraná
Crônica _Mar_1978(IRSC 941051BNRJ)

 

E-mail: [email protected]

Publicação: www.paralerepensar.com.br  - 04/08/2004